Entrar

Simulado: Fisioterapia Respiratória - Fisioterapia - Exercícios com Gabarito

Marque todas as questões do simulado desta página "Fisioterapia Respiratória - Fisioterapia - Exercícios com Gabarito" e clique no botão "Corrigir". Se preferir, baixe o PDF.


3 resolveram
61% acertos
Médio
0 ótimo
3 bom
0 regular
0 péssimo

Uma mulher com quarenta anos de idade deu entrada no pronto-socorro, apresentando frequência respiratória de 22 irpm, dispneia e febre. Os resultados da gasometria arterial foram: pH = 7,33; PaCO2 = 48 mmH2O; PaO2 = 50 mmHg; HCO3 = 24 mEq/L; e SatO2 = 87%. Ela iniciou tratamento com oxigenoterapia por meio de máscara de Venturi a 50% (15 L/m). Foi apresentada como hipótese diagnóstica pneumonia adquirida na comunidade.

A respeito do caso em tela e de aspectos diversos a ele relacionados, julgue os próximos itens.

No sistema de Venturi, quanto menor for o orifício e maior o jato de entrada, maiores serão as concentrações oferecidas de oxigênio.

A respeito da avaliação e condução dos programas de reabilitação pulmonar e cardíaca, julgue os itens a seguir. Para pacientes com quadro de claudicação intermitente, deve-se indicar a realização de programa de reabilitação cardiovascular, que gera benefícios como aumento da capacidade oxidativa e da vasodilatação dependente de óxido nítrico, e redução da glicólise anaeróbica, do acúmulo de lactato e de marcadores inflamatórios.

Um homem com sessenta e cinco anos de idade, fumante desde os dezoito anos de idade, foi atendido no pronto-socorro, com dispneia progressiva aos esforços e tosse, com expectoração espessa e frequência respiratória de 30 irpm. Os resultados da gasometria arterial foram: pH = 7,25; PaCO2 = 68 mmH2O; PaO2 = 50 mmHg; HCO3 = 32 mEq/L; SatO2 = 87% com cateter de oxigênio a 3 L/m. A espirometria após broncodilatador apresentou: CVF(L) = 2,22 (79% do previsto); VEF1 (L) = 1,03 (42% do previsto); e VEF1/CVF = 46,30 (53% do previsto). Os dados obtidos das pressões respiratórias máximas foram: PImáx = 55 cmH2O (60% do previsto); e Pemáx = 60 cmH2O (63% do previsto).

Acerca desse caso clínico, julgue os seguintes itens.

A espirometria indicou limitação do fluxo aéreo severo, detectado pela porcentagem (%) do valor predito para VEF1.

Uma mulher com quarenta anos de idade, após permanecer em VMI por 48 h, apresenta critérios para iniciar o processo de desmame ventilatório. O teste de respiração espontânea (TRE) foi realizado em tubo T por 30 min, e a paciente apresentou estabilidade hemodinâmica, FR = 18 irpm, volume/minuto (VM) = 9 L/min e pressão inspiratória máxima de (PImáx) -35 cmH2O.

Nesse caso clínico,

a paciente apresenta fatores de risco para a falência respiratória, tendo como indicação o uso da ventilação não invasiva (VNI) preventiva.

Um paciente com cinquenta e cinco anos de idade foi admitido no pronto-socorro com os seguintes sinais clínicos: taquipneia, tiragem intercostal e uso de musculatura acessória. O paciente tinha antecedentes de infarto agudo do miocárdio e hipertensão arterial sistêmica. De acordo com a avalição inicial, observaram-se os seguintes resultados: AP: MV + diminuído na base E, com estertores difusos; pressão venosa pulmonar > 25 mmHg. A radiografia de tórax mostrou aumento da área cardíaca, aumento da trama vasobrônquica, opacidade dos ângulos costofrênico e cardiofrênico a E. Os resultados obtidos, ao se realizar gasometria, foram: pH = 7,35; PaCO2 = 45; PaO2 = 50; HCO3 - = 26; BE = 2 e SatO2 = 87% em ar ambiente. A hipótese diagnóstica foi de edema pulmonar cardiogênico.

Com relação ao caso clínico precedente e as aspectos diversos a ele relacionados, julgue os itens que se seguem.

Em relação à sequência de formação do edema pulmonar, o paciente apresentava-se na fase III, ou seja, fase de congestão pulmonar.

Um paciente de 45 anos de idade foi internado em uma UTI devido a quadro de infecção respiratória grave. O paciente estava sob ventilação mecânica invasiva. A análise dos parâmetros ventilatórios mostrou: pressão de pico = 50 cmH2O; pressão de platô = 10 cmH2O; fluxo = 20 L/s; volume corrente = 350 mL; PEEP total = 8 cmH2O. Os valores obtidos na coleta de gasometria arterial do paciente foram: pH 7,38; PaCO2 = 68 mmHg; PaO2 = 60 mmHg; HCO3 = 32 mmol/L; BE = -5 mEq/L.

A respeito do caso clínico precedente, julgue os itens que se seguem.

Se o quadro clínico desse paciente evoluir para modo ventilatório de pressão de suporte = 7 cmH2O, PEEP = 5 cmH2O e FiO2 de 30%, com frequência respiratória de 35 irpm e volume corrente de 300 mL, a análise do índice de Tobin poderá indicar possibilidade de fracasso no desmame ventilatório.

No que se refere ao manejo e à avaliação de fisioterapia em cuidados oncológicos, paliativos e em lesão medular, julgue os itens subsecutivos. O posicionamento correto do paciente e o uso de órteses para estabilizar a coluna são medidas amplamente aceitas e reconhecidas no manejo fisioterapêutico de pacientes com instabilidade da coluna por compressão metastática da coluna vertebral.

Um paciente de 45 anos de idade foi internado em uma UTI devido a quadro de infecção respiratória grave. O paciente estava sob ventilação mecânica invasiva. A análise dos parâmetros ventilatórios mostrou: pressão de pico = 50 cmH2O; pressão de platô = 10 cmH2O; fluxo = 20 L/s; volume corrente = 350 mL; PEEP total = 8 cmH2O. Os valores obtidos na coleta de gasometria arterial do paciente foram: pH 7,38; PaCO2 = 68 mmHg; PaO2 = 60 mmHg; HCO3 = 32 mmol/L; BE = -5 mEq/L.

A respeito do caso clínico precedente, julgue os itens que se seguem.

A ventilação em posição prona está indicada para pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA), já que a ventilação nessa posição está associada à melhor relação V/Q (onde V é a ventilação e Q representa a perfusão) e, portanto, à melhora nas trocas gasosas.

Com relação à fisiologia e à fisiopatologia dos sistemas respiratórios em pacientes neurocríticos, julgue os itens a seguir. Situação hipotética: Durante a realização de uma espirometria, um paciente apresentou capacidade vital lenta em torno de 0,5 L, maior do que o valor obtido na manobra para obtenção da capacidade vital forçada. Assertiva: Esse achado pressupõe a ocorrência de compressão dinâmica das vias aéreas, como um broncoespasmo.

Uma paciente jovem, vítima de acidente automobilístico, estava em ventilação mecânica invasiva, com os seguintes parâmetros: modo assistido/controlado; pressão controlada de 16 cmH2O; tempo inspiratório de 1,8 segundo; PEEP de 20 cmH2O; frequência respiratória de 10 rpm; e FiO2 de 100%.

Considerando o caso clínico precedente, julgue os itens que se seguem.

A PEEP apresentada poderá promover alteração hemodinâmica, como aumento da pressão intratorácica, diminuição do retorno venoso e redução do débito cardíaco.

Um paciente com cinquenta e cinco anos de idade foi admitido no pronto-socorro com os seguintes sinais clínicos: taquipneia, tiragem intercostal e uso de musculatura acessória. O paciente tinha antecedentes de infarto agudo do miocárdio e hipertensão arterial sistêmica. De acordo com a avalição inicial, observaram-se os seguintes resultados: AP: MV + diminuído na base E, com estertores difusos; pressão venosa pulmonar > 25 mmHg. A radiografia de tórax mostrou aumento da área cardíaca, aumento da trama vasobrônquica, opacidade dos ângulos costofrênico e cardiofrênico a E. Os resultados obtidos, ao se realizar gasometria, foram: pH = 7,35; PaCO2 = 45; PaO2 = 50; HCO3 - = 26; BE = 2 e SatO2 = 87% em ar ambiente. A hipótese diagnóstica foi de edema pulmonar cardiogênico.

Com relação ao caso clínico precedente e as aspectos diversos a ele relacionados, julgue os itens que se seguem.

A principal característica do edema apresentado é o aumento da permeabilidade da membrana endotelial capilar pulmonar em decorrência de uma lesão do endotélio vascular pulmonar.

Um homem de cinquenta anos de idade, com 100 kg de massa e altura de 165 cm, foi admitido em unidade de terapia intensiva com dispneia progressiva havia uma semana. Ele negou doenças cardiovasculares. A radiografia de tórax evidenciou opacidade bilateral. O paciente foi submetido a intubação orotraqueal e a ventilação mecânica invasiva (VMI). Os parâmetros de ventilação mecânica no momento foram: modo assistido/controlado; volume corrente de 600 mL; fluxo constante de 60 L/m; pausa inspiratória de 0,5 s; PEEP de 5 cmH2O; frequência respiratória de 12 irpm; FiO2 de 50%; pressão de pico de 45 cmH2O; e pressão de platô de 35 cmH2O. A gasometria arterial evidenciou: pH = 7,30; PaCO2 = 68 mmHg; PaO2 = 45 mmHg; HCO3 - = 35 mEq/L e SatO2 = 86%.

Com relação a esse caso clínico e aos múltiplos aspectos a ele relacionados, julgue os itens a seguir.

A principal recomendação para adultos com SDRA em VMI é receber uma estratégia ventilatória no modo pressão controlada, volume corrente de 10 mL/kg, e pressão de platô menor que 40 cmH2O.

Tendo em vista que a fraqueza muscular adquirida na unidade de terapia intensiva (FMA-UTI) é frequente e contribui para o aumento da morbimortalidade dos pacientes em estado crítico, julgue os itens a seguir. De acordo com o Medical Research Council (MRC), escore menor ou igual a 48 caracteriza o diagnóstico de FMA-UTI.

Um homem com sessenta e cinco anos de idade, fumante desde os dezoito anos de idade, foi atendido no pronto-socorro, com dispneia progressiva aos esforços e tosse, com expectoração espessa e frequência respiratória de 30 irpm. Os resultados da gasometria arterial foram: pH = 7,25; PaCO2 = 68 mmH2O; PaO2 = 50 mmHg; HCO3 = 32 mEq/L; SatO2 = 87% com cateter de oxigênio a 3 L/m. A espirometria após broncodilatador apresentou: CVF(L) = 2,22 (79% do previsto); VEF1 (L) = 1,03 (42% do previsto); e VEF1/CVF = 46,30 (53% do previsto). Os dados obtidos das pressões respiratórias máximas foram: PImáx = 55 cmH2O (60% do previsto); e Pemáx = 60 cmH2O (63% do previsto).

Acerca desse caso clínico, julgue os seguintes itens.

Pacientes com quadro clínico semelhante ao do paciente do caso em tela tendem a apresentar, no exame físico do tórax, percussão torácica, hipersonoridade e frêmito toracovocal diminuído.

Tendo em vista que a fraqueza muscular adquirida na unidade de terapia intensiva (FMA-UTI) é frequente e contribui para o aumento da morbimortalidade dos pacientes em estado crítico, julgue os itens a seguir. A escala de funcionalidade FSS-ICU (functional status score) contempla o domínio atividades na perspectiva da Classificação Internacional de Funcionalidade (CIF).

Um homem com sessenta e cinco anos de idade, fumante desde os dezoito anos de idade, foi atendido no pronto-socorro, com dispneia progressiva aos esforços e tosse, com expectoração espessa e frequência respiratória de 30 irpm. Os resultados da gasometria arterial foram: pH = 7,25; PaCO2 = 68 mmH2O; PaO2 = 50 mmHg; HCO3 = 32 mEq/L; SatO2 = 87% com cateter de oxigênio a 3 L/m. A espirometria após broncodilatador apresentou: CVF(L) = 2,22 (79% do previsto); VEF1 (L) = 1,03 (42% do previsto); e VEF1/CVF = 46,30 (53% do previsto). Os dados obtidos das pressões respiratórias máximas foram: PImáx = 55 cmH2O (60% do previsto); e Pemáx = 60 cmH2O (63% do previsto).

Acerca desse caso clínico, julgue os seguintes itens.

Deve-se indicar a interface total-face para o paciente em apreço, por apresentar maior conforto para uso prolongado, com mínimo vazamento.

De acordo com os recursos manuais e instrumentais em fisioterapia cardiorrespiratória, julgue os itens a seguir. O espirômetro de incentivo a volume apresenta como fundamentação fisiológica o princípio da oscilação das vias aéreas, o aumento do fluxo aéreo intermitente e a pressão positiva na via aérea.

Um homem com sessenta e cinco anos de idade, fumante desde os dezoito anos de idade, foi atendido no pronto-socorro, com dispneia progressiva aos esforços e tosse, com expectoração espessa e frequência respiratória de 30 irpm. Os resultados da gasometria arterial foram: pH = 7,25; PaCO2 = 68 mmH2O; PaO2 = 50 mmHg; HCO3 = 32 mEq/L; SatO2 = 87% com cateter de oxigênio a 3 L/m. A espirometria após broncodilatador apresentou: CVF(L) = 2,22 (79% do previsto); VEF1 (L) = 1,03 (42% do previsto); e VEF1/CVF = 46,30 (53% do previsto). Os dados obtidos das pressões respiratórias máximas foram: PImáx = 55 cmH2O (60% do previsto); e Pemáx = 60 cmH2O (63% do previsto).

Acerca desse caso clínico, julgue os seguintes itens.

Nessa situação, a VNI deverá ser considerada até 2 h, para melhorar o nível de consciência devido à redução da hipercapnia.

Um homem de cinquenta anos de idade, com 100 kg de massa e altura de 165 cm, foi admitido em unidade de terapia intensiva com dispneia progressiva havia uma semana. Ele negou doenças cardiovasculares. A radiografia de tórax evidenciou opacidade bilateral. O paciente foi submetido a intubação orotraqueal e a ventilação mecânica invasiva (VMI). Os parâmetros de ventilação mecânica no momento foram: modo assistido/controlado; volume corrente de 600 mL; fluxo constante de 60 L/m; pausa inspiratória de 0,5 s; PEEP de 5 cmH2O; frequência respiratória de 12 irpm; FiO2 de 50%; pressão de pico de 45 cmH2O; e pressão de platô de 35 cmH2O. A gasometria arterial evidenciou: pH = 7,30; PaCO2 = 68 mmHg; PaO2 = 45 mmHg; HCO3 - = 35 mEq/L e SatO2 = 86%.

Com relação a esse caso clínico e aos múltiplos aspectos a ele relacionados, julgue os itens a seguir.

Além da instalação aguda da insuficiência respiratória, da radiografia de tórax com infiltrado alveolar difuso e da ausência de doenças cardiovasculares prévias, o índice de oxigenação do paciente sugere uma SDRA severa.

Resolver simuladosEscolaridadeQuantidade
Fisioterapia RespiratóriaEnsino Superior3
Fisioterapia CardiovascularEnsino Superior2
Fundamentos da SaúdeEnsino Superior2
Fisioterapia em Traumato ortopedia e ReumatologiaEnsino Médio2
Fisioterapia Neonatal e PediátricaEnsino Superior2
Fisioterapia em Ginecologia e ObstetríciaEnsino Superior1
Órtese e PróteseEnsino Superior1
Eletro Termo FototerapiaEnsino Superior1
Fisioterapia NeurológicaEnsino Superior1
Fisioterapia GeralEnsino Superior1

Deixe seu comentário (0)

Participe, faça um comentário.