Entrar

Questões de Concurso: Ortografia

Confira aqui questões de Ortografia para Concurso grátis com gabarito ou respostas comentadas. Acesse milhares de questões resolvidas e organizadas para treinar online. Se preferir, baixe o PDF!

Filtrar questões
💡 Selecione apenas 2 campos por vez e clique em filtrar.


Assinale a alternativa em que todas as palavras, dentro do contexto, estejam grafadas corretamente.
🧠 Mapa Mental

As formas "a fora" e "afora" estão corretas. Sobre isso, leia as afirmações abaixo:

I. A fora: usado com as expressões "de dentro a fora" e "de fora a fora";

II. Afora: pode significar "ao longo de", "para o lado de fora", "além de" e "à exceção de".

Sabendo disso, quais as frases abaixo estão corretas?

I. Pegou o carro e saiu pela estrada afora.

II. Lembrarei deste momento pela vida afora.

III. Afora os pais do Enzo, todos compareceram à reunião.

🧠 Mapa Mental
Para responder à questão, leia o texto abaixo: 
 
A história da pandemia ainda está sendo escrita, mas nela já estão garantidos os lugares honrosos de Sarah Gilbert, a chefe da equipe que desenvolveu a vacina de Oxford; Katalin Karikó, a cientista húngara que passou a vida pesquisando o uso terapêutico de moléculas do código genético, o método utilizado nas vacinas da Pfizer e da Moderna; e Kate Bingham, a especialista em novos remédios que coordenou a bem-sucedida campanha de vacinação no Reino Unido. Nenhuma delas, obviamente, se faz de vítima ou acha que merece mérito especial por ser mulher, embora a condição feminina tenha seu peso. (Vilma Gryzinski. Revista Veja. “Três Mulheres”. Adaptado. 07 de abril de 2021. Edição nº 2732.)  
Com base nos aspectos morfológicos e de acentuação de vocábulos do texto, leia as assertivas: I. Em “se faz de vítima ou acha que merece mérito especial por ser mulher”, tem-se apenas dois vocábulos classificados como proparoxítonos. II. Em “a cientista húngara que passou a vida pesquisando”, tem-se um adjetivo pátrio. III. Em “a chefe da equipe que desenvolveu a vacina de Oxford”, o verbo está conjugado no pretérito imperfeito do indicativo. Pode-se afirmar que:
🧠 Mapa Mental

Considerando o texto abaixo, assinale a alternativa correta:

Há nítida tendência dos tribunais em estender o liame de causalidade entre o ato médico danoso e a cooperativa sem a necessidade de comprovação da culpa in eligendo ou in vigilando.

🧠 Mapa Mental

Marque a proposição que NÃO contém erro no a ou à grifados:

🧠 Mapa Mental
Assinale a alternativa que NÃO apresenta erros ortográficos:
🧠 Mapa Mental

Qual frase está CORRETA quanto ao uso do "a fora" ou "afora"?

I. Ele sempre gostou de brincar afora de casa.

II. O gato conseguiu abrir a porta e saiu rua a fora.

III. O evento acontecerá no salão, mas afora haverá atividades para todos os convidados.

IV. O público estava animado, cantando e dançando afora do estádio.

🧠 Mapa Mental

Assinale a alternativa que NÃO apresenta erro gramatical:

🧠 Mapa Mental

TEXTO I

É assim que acontece a bondade

Rubem Alves

(...)

O que pode ser ensinado são as coisas que moram no mundo de fora:

astronomia, física, química, gramática, anatomia, números, letras, palavras.

Mas há coisas que não estão do lado de fora, coisas que moram dentro do corpo.

Estão enterradas na carne, como se fossem sementes à espera…

Sim, sim! Imagine isto: o corpo como um grande canteiro!

Nele se encontram, adormecidas, em estado de latência, as mais variadas sementes.

Elas poderão acordar, como a Bela Adormecida acordou com um beijo.

Mas poderão também não brotar.

Tudo depende…

As sementes não brotarão se sobre elas houver uma pedra.

E também pode acontecer que, depois de brotar, elas sejam arrancadas…

De fato, muitas plantas precisam ser arrancadas, antes que cresçam:

as pragas, tiriricas, picões…

Uma dessas sementes é a “solidariedade”.

A solidariedade não é uma entidade do mundo de fora,

ao lado de estrelas, pedras, mercadorias, dinheiro, contratos.

Se ela fosse uma entidade do mundo de fora poderia ser ensinada e produzida.

A solidariedade é uma entidade do mundo interior.

Solidariedade nem se ensina, nem se ordena, nem se produz.

A solidariedade tem de brotar e crescer como uma semente…

Veja o ipê florido!

Nasceu de uma semente.

Depois de crescer não será necessária nenhuma técnica,

nenhum estímulo, nenhum truque para que ele floresça.

Angelus Silesius, místico antigo, tem um verso que diz:

“A rosa não tem porquês. Ela floresce porque floresce”.

O ipê floresce porque floresce.

Seu florescer é um simples transbordar natural da sua verdade.

A solidariedade é como o ipê:

nasce e floresce.

Mas não em decorrência de mandamentos éticos ou religiosos.

Não se pode ordenar: “Seja solidário!”

A solidariedade acontece como um simples transbordamento:

as fontes transbordam…

Já disse que solidariedade é um sentimento.

É esse o sentimento que nos torna humanos.

A solidariedade me faz sentir sentimentos que não são meus, que são de um outro. Acontece assim: eu vejo uma criança vendendo balas num semáforo.

Ela me pede que eu compre um pacotinho das suas balas.

Eu e a criança – dois corpos separados e distintos.

Mas, ao olhar para ela, estremeço:

algo em mim me faz imaginar aquilo que ela está sentindo.

E então, por uma magia inexplicável, esse sentimento imaginado se aloja junto dos meus próprios sentimentos.

Na verdade, desaloja meus sentimentos, pois eu vinha, no meu carro, com sentimentos leves e alegres,

e agora esse novo sentimento se coloca no lugar deles.

O que sinto não são meus sentimentos.

Foram-se a leveza e a alegria que me faziam cantar.

Agora, são os sentimentos daquele menino que estão dentro de mim.

Meu corpo sofre uma transformação:

ele não é mais limitado pela pele que o cobre.

Expande-se.

Ele está agora ligado a um outro corpo que passa a ser parte dele mesmo.

Isso não acontece nem por decisão racional, nem por convicção religiosa, nem por um mandamento ético.

É o jeito natural de ser do meu próprio corpo, movido pela solidariedade.

Pela magia do sentimento de solidariedade meu corpo passa a ser morada do outro.

É assim que acontece a bondade.

O menino me olhou com olhos suplicantes.

E, de repente, eu era um menino que olhava com olhos suplicantes…

Disponível em https://rubemalvesdois.wordpress.com/2010/09/11/e-assim-que-acontece-a-bondade/

“Não se pode ordenar: “Seja solidário!”. Assinale a alternativa que apresenta uma palavra acentuada pelo mesmo motivo que “solidário”.

🧠 Mapa Mental